ÚLTIMAS NOTÍCIAS

6/recent/ticker-posts

Com avanço rápido da vacinação, operadoras, hotéis e cias. aéreas se preparam para retomada do turismo; pesquisa revela que brasileiro não vê a hora de viajar

Fotos: Shutterstock

Colocar o pé na areia. Mergulhar no mar. Respirar o ar fresco das montanhas. Jantar em bons restaurantes. Visitar museus, parques e monumentos. Explorar ruas e bairros inteiros. Flanar por aí. Quem, nos últimos meses, não sonhou em fazer ao menos uma das atividades listadas acima? Com o avanço da vacinação — espera-se que a velocidade da imunização seja a maior possível — um dos desejos mais poderosos da alma humana poderá enfim ser realizado: viajar. Poucos anseios são tão prementes, e certamente nenhum foi tão prejudicado durante a pandemia. No Brasil, o turismo perdeu 55,6 bilhões de reais com a crise do novo coronavírus. Nos Estados Unidos, o maior mercado do mundo, o setor viu sumirem aproximadamente 500 bilhões de dólares. A boa notícia é que as pessoas estão sedentas para cair na estrada, ou pegar o avião, se for o caso. O brasileiro não vê a hora de fazer turismo, e o impulso é tão forte que o setor poderá ter uma retomada tão rápida quanto foi a súbita queda. Como não poderia deixar de ser, as empresas estão atentas ao movimento. Agências, operadoras, companhias aéreas e hotéis já agem para atender à demanda que virá dos futuros visitantes.

A força do turismo pode ser comprovada por números. Há alguns dias, um estudo realizado pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe) identificou os objetivos dos brasileiros para o pós-pandemia. O principal desejo das pessoas é viajar (veja o quadro acima), mais do que comprar casa ou trocar de carro. Trata-se de um resultado marcante. Antes de procurar um imóvel melhor, ou adquirir a residência própria, o brasileiro pretende aproveitar a vida em lugares diferentes. Outro levantamento, dessa vez feito pelo IBM Institute for Business Value, consultou 15 000 adultos em diversos países, inclusive no Brasil. O resultado é similar: voltar a viajar é mesmo o principal desejo dos consumidores, e muitos deles afirmaram que pretendem fazer isso mesmo sem vacina — o que não é recomendável, ressalte-se.

As empresas querem acelerar o processo e definiram inúmeras estratégias para atrair os turistas. Uma das maiores agências do Brasil, a Agaxtur lançou recentemente a linha de viagens 55 Plus, destinada a pessoas acima dos 55 anos, que estão na frente para receber a vacina. De acordo com o CEO da marca, Aldo Leone, elas já podem começar a comprar passagens para daqui a um ou dois meses, quando estarão totalmente imunizadas. A concorrente CVC criou um programa de fidelidade que deverá oferecer diversos tipos de benefícios a seus usuários, como descontos na compra de passagens ou pacotes. Além disso, expandiu seu portfólio no Caribe, firmando novas parceiras com hotéis e resorts. A empresa também quer fisgar públicos específicos. No fim de 2021, realizará um cruzeiro para pessoas LGBTQ+. Além das paradas em diversos pontos turísticos, a CVC promoverá um festival de música.

Ninguém quer perder a oportunidade que certamente virá com a retomada do setor. O Club Med, uma das redes de hotéis mais tradicionais do Brasil, anunciou o lançamento de um resort no Canadá ainda em 2021 e a companhia Azul informou que tem planos para operar destinos inéditos a partir do segundo semestre, como São Gabriel da Cachoeira (AM) e Ponta Porã (MS), roteiros que combinam negócios com natureza.

Os especialistas afirmam que haverá dois momentos distintos na retomada. De acordo com a Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav), o mercado doméstico deverá ganhar ímpeto a partir do meio do ano, com reabertura completa das atrações e destinos nacionais. Em julho, por exemplo, a Azul prevê retomar 85% de sua malha. Já os roteiros internacionais tendem a receber maior volume de brasileiros apenas no último trimestre do ano, quando, espera-se, boa parte do mundo estará imunizada — incluindo, claro, os próprios brasileiros. “Para as viagens ao exterior, acreditamos que a recuperação será mais gradual, seguindo as restrições em cada país de destino”, afirma Marcelo Bento Ribeiro, diretor de relações institucionais da Azul.

O mercado doméstico é prioritário — e as empresas não querem perder um minuto sequer para aquecê-lo. O Transamerica Comandatuba, na Bahia, passou a oferecer a opção de voos fretados, em que o turista despacha a mala em sua cidade natal e a pega de volta no próprio quarto do hotel. Também na Bahia, o Tivoli Ecoresort, na Praia do Forte, criou um pacote com descontos que inclui jantares à luz de velas e massagens relaxantes. Para aproveitar o extenso litoral brasileiro, a MSC Cruzeiros lançou um plano de viagens que consiste em um segundo hóspede grátis, para viagens entre novembro de 2021 e abril de 2022. Segundo a empresa, são cinco opções de portos de embarque: Santos, Rio de Janeiro, Itajaí, Salvador e Maceió.

Não há dúvida que o turismo voltará, mas é preciso insistir em um ponto: a velocidade da retomada depende de uma questão essencial, a vacinação em massa. Nos Estados Unidos, onde são imunizados, em média, 3 milhões de indivíduos todos os dias, o setor vive uma recuperação sem precedentes. O Hopper, aplicativo utilizado para reservar viagens, observou um crescimento explosivo de quase 75% nas buscas por voos para agosto desde o fim de fevereiro. O site de viagens Kayak também percebeu que o interesse e a demanda aumentaram consideravelmente, com as pesquisas por destinos crescendo até 27% por semana desde o início do ano.

No mundo atual (ou pré-pandemia), o turismo tornou-se essencial para a economia da maioria dos países, e no Brasil não seria diferente. Estima-se que o setor responda por 8% do PIB nacional e gere renda para 10 milhões de brasileiros. Sob qualquer ângulo, é um dos ramos de negócios mais importantes. Por isso mesmo, a recuperação tem sido tão aguardada. Quando a pandemia passar, milhões de pessoas poderão sair de casa e, enfim, realizar o sonho de visitar uma cidade desconhecida. É só ter paciência, porque esse dia está cada vez mais próximo.

Veja



Postar um comentário

0 Comentários