Parece que depois de uma multa de quase 23 milhões o partido começou a acreditar que os votos foram todos válidos.

Foto: Leonardo Caldas/Veja

Ao aceitar participar de um jogo, o jogador conhece suas regras e atesta que ao participar, entende que existe a possibilidade de perder. Bom, pra o jogo pode valer, mas parece que pra disputar a vaga de presidente da República a história é outra.

Por causa de quase R$ 23 milhões, bateu um arrependimento sem motivo muito aparente no PL, que depois da multa aplicada por Alexandre de Morais, parece que agora sim as eleições foram validas para o partido. Já nesta quinta, o plenário do TSE confirmou, por unanimidade, a condenação do PL ao pagamento de multa por litigância de má-fé. O partido já começa a sinalizar que foram legítimas as eleições, depois de 23 milhões saindo do caixa, todo mundo muda a opinião.

A condenação se deu em razão de um requerimento solicitado pela legenda que pediu ao TSE para invalidar os votos, somente do segundo turno, os que viessem das urnas dos modelos 2009, 2011, 2013 e 2015 que representam quase 60% do total.

Na decisão, aplicada pelo ministro Alexandre de Moraes, ele escreveu "Ficou evidente a intenção deliberada da requerente (PL) em incentivar movimentos criminosos e antidemocráticos, inclusive com a propositura do requerimento flagrantemente descabido."

E já tem resultado, para garantir que o pagamento da multa seja feito, o TSE também endossou o imediato bloqueio do Fundo Partidário do PL até o efetivo pagamento.

Coluna assinada pelo Jornalista Rállyson Nunes - DRT - 2233/RN.

Post a Comment

Facebook

header ads