Foto: Kleber Teixeira

O primeiro transplante de coração de 2023 no Rio Grande do Norte foi realizado com sucesso na tarde desta quinta-feira (19). O procedimento foi feito em Natal, em um homem de 44 anos, que era diagnosticado com miocardiopatia, doença grave no músculo do coração.

O quadro de saúde era delicado e, graças a doação de uma família de Mossoró, ele terá a oportunidade de ter uma melhor qualidade de vida.

Segundo o cardiologista Marcelo Cascudo, que trabalhou no transplante, o paciente estava praticamente sem conseguir fazer nada, com constantes internações, chegando a necessitar de cuidados de terapia intensiva (UTI).

"Era um paciente que tinha uma qualidade de vida muito ruim e que estava em fase final de vida em decorrência da doença do seu coração", disse o médico.

O doador do órgão foi um jovem de 20 anos, que teve morte encefálica por ferimento de arma de fogo. A família decidiu por doar os órgãos dele, e o coração serviu para salvar a vida do paciente em Natal.

O cardiologista Marcelo Cascudo destacou o curto período de isquemia - do momento em que o coração parou de bater na vítima em Mossoró para voltar a bater no tórax do receptor, em Natal -, de 1h45. "É um tempo muito bom. O transplante cardíaco é muito dependente do tempo. É por isso que tem uma logística muito grande, tem batedores que vão buscar, para abrir caminho para que esse coração possa chegar o mais rápido possível. Se a isquemia for muito longa pode ser que o coração não sirva mais", explica o médico.

Para isso, uma operação foi montada para captação pela Central de Transplantes da Secretaria de Estado de Saúde (Sesap) no Hospital Regional Tarcísio Maia e encaminhamento ao Hospital Rio Grande, em Natal, onde ocorreu o procedimento.

 Tribuna do Norte

Post a Comment

Facebook

header ads